Dicas RH TI

Qual a melhor forma de seleção de profissional de TI?

Embora algumas atividades sejam comuns nos processos que envolvem a contratação de praticamente todos os profissionais, algumas ocupações exigem procedimentos diferenciados. Um bom exemplo é a seleção de profissional de TI, que requer avaliações capazes de aferir a excelência técnica dos candidatos. 

Se você também fica em dúvida na hora de contratar esses profissionais, o post de hoje vai ajudá-lo. Vamos abordar algumas práticas válidas para o processo, que vão fazer sua empresa identificar os melhores candidatos disponíveis. Acompanhe!

Conte com a expertise do hiring manager

Muitas empresas já entenderam que, para contratar certo, é importante que a equipe de RH conte também com o apoio do hiring manager. Ele é quem faz o requerimento da contratação e conhece bem as atividades que o colaborador desempenhará. 

Dessa forma, ele pode ajudar a formular a melhor descrição da vaga, o perfil, o conhecimento e as habilidades exigidas. Ele também tem expertise para propor avaliações que mostram se o candidato apresenta ou não esses requisitos.  

Analise as certificações apresentadas pelo candidato

Felizmente para os selecionadores, a área de TI tem uma série de certificações. Por meio delas, instituições reconhecidas atestam que o profissional possui determinados conhecimentos e se demonstrou capaz de aplicá-los em testes padronizados.

Algumas das instituições que oferecem certificações e as principais opções que elas concedem são: 

  • Microsoft: Microsoft Office Specialist (MOS), Microsoft Certified Solutions Expert (MCSE) e Microsoft Certified Solutions Developer (MCSD);
  • ISACA: Certified Information Systems Auditor (CISA), Certified Information Security Manager (CISM), Certified in Risk and Information Systems Control (CRISC), Certified in the Governance of Enterprise IT (CGEIT).

Vale lembrar que, na maioria das vezes, as certificações em TI são bastante específicas. Por isso, o RH precisa verificar qual delas realmente é a mais adequada para o cargo em aberto.

Além das que já citamos, hoje é comum a demanda por certificações relacionadas à computação em nuvem — como a VCP6-DCV da VMWare e AWS Certified Solutions Architect — além daquelas que envolvem o gerenciamento de projetos, como a Project Management Professional (PMP) e Certified Scrum Master (CSM). 

Valorize indicações

Ninguém melhor para atestar a competência de um profissional de TI quanto quem já trabalhou com ele. Cheque indicações para descobrir não só o conhecimento do candidato, mas outras características apresentadas no local de trabalho. 

Um profissional de TI precisa não só de competências técnicas. A forma como lida com prazos e emergências, a capacidade de entender o negócio, identificar suas demandas e atendê-las propondo soluções tecnológicas também é muito importante. 

Realize testes

Uma prova prática é fundamental para descobrir o que o candidato para uma vaga de TI realmente sabe fazer. Ele pode ser preparado pelo seu próprio time ou pelo hiring manager e precisa contemplar as atividades essenciais que o profissional executará.

Recomenda-se que esse procedimento seja realizado já na etapa final de seleção, apenas com os candidatos mais qualificados e com grandes chances de contratação.  

Além de mostrar qual é o mais preparado para o cargo, o teste prático dá ao profissional uma noção melhor sobre as atividades que desempenhará.

Assim, ele pode se posicionar de forma mais consciente ao final do processo seletivo. Isso evita surpresas depois da contratação, reduzindo as chances de má adaptação e turnover.  

Questione sobre resultados

Hoje em dia, quando as empresas buscam um profissional de TI, elas querem mais que um executor. Na maioria das vezes, esperam um colaborador perceptivo e proativo, capaz de usar a tecnologia para gerar soluções adequadas aos diversos departamentos.

Para encontrar esses profissionais, questione-os quanto aos resultados obtidos em suas experiências anteriores. É importante que eles saibam que o projeto X levou a empresa do estágio operacional A ao B de eficiência, o que representou uma economia Y, por exemplo. 

Esse tipo de argumentação mostra que o profissional sabe não só como fazer (eficiência), mas principalmente o que deve ser feito e o porquê (eficácia).

Gostou das nossas dicas para a seleção de profissional de TI? Quer conhecer mais sobre como contratar e obter sucesso? Então não perca nosso post sobre startups que odeiam processos seletivos comuns! Confira!

Sobre o autor

Marcelo Braga

Marcelo Braga

Fundador e Diretor Executivo da REACHR. Headhunter desde 2000 (Sócio Fundador da SEARCH, Ex-Sócio Sênior da FESA e Ex-Consultor Michael Page). Anteriormente na indústria automotiva (General Motors e Plascar). Engenheiro Químico – Unicamp e Pós-graduado em Administração de Empresa pela FGV.

Deixar comentário.

error: Content is protected !!
Navegação