RH

60% dos profissionais de RH pretendem inovar em processos seletivos

Estudo indica ainda que uma das fortes tendências para os próximos anos será o modelo de Recruitment Marketing

Segundo pesquisa recentemente realizada pela Matchbox Brasil, HR Tech que chega ao mercado para revolucionar a forma como empresas e jovens se relacionam, e apresentada na primeira edição do HR Thinking, evento proprietário para discutir a evolução do setor, 60% dos profissionais de recursos humanos pretendem inovar em processos seletivos e construir uma marca empregadora cada vez mais forte.

Além disso, os setores que mais têm se preocupado com seus processos de atração e retenção de talentos são os de Agronegócios, Auditoria e Consultoria, Bens de Consumo, Indústria e Meios de Pagamento. Tais comportamentos podem ser corroborados pelo crescente número de startups desses segmentos, sendo 85 de agronegócios e cerca de 500 fintechs, por exemplo, segundo a Associação Brasileira de Startups.

Outro dado relevante apontado na pesquisa é que 52% dos gestores encaram como principais objetivos reduzir o tempo de entrega de vagas e 51% criar ou fortalecer ações de Employer Branding, conceito que estabelece a reputação de uma empresa como um bom lugar para se trabalhar. Um ponto positivo detectado na pesquisa é que 50% das empresas alegaram um aumento no budget para talent acquisition, ou seja, com o aquecimento da economia, as empresas estão voltando a contratar.

“Não é de hoje que a forma de contratação mudou e quem escolhe onde quer se estabelecer é o colaborador, e não mais apenas a empresa empregadora. Muitas vezes, antes de ir para uma entrevista ou aplicar para uma vaga, o candidato faz uma vasta pesquisa sobre a companhia e caso note que sua reputação de política de tratamento com funcionários não é tão boa assim, desiste da vaga, mesmo que financeiramente fosse uma boa oportunidade”, explica Kleber Piedade, CEO da Matchbox Brasil.

Para aprimorar suas ações de Employer Branding, ainda segundo dados da pesquisa, os gestores têm apostado em Redes Sociais de Carreiras (83%), Palestras em universidades (67%), Parcerias com entidades estudantis (49%) e trabalhos de EVP (45%).

Por fim, os maiores desafios da área de Talent Acquisition são:

  • Atração: dificuldades de encontrar candidatos específicos (58%)
  • Operação: alta carga operacional (46%)
  • Tecnologia: falta de soluções que ajudem nos processos seletivos (43%)

“Com a realização do HR Thinking pudemos esclarecer cada vez mais que a ausência de soluções tecnológicas, aliadas a uma mudança de mindset dos recrutadores são os entraves para que o segmento possa, de fato, dar um passo a frente e otimizar tanto o processo de atração, quanto de retenção e desenvolvimento de seus talentos. Somente com essas mudanças será possível melhorar todo o ecossistema”, conclui Piedade.

Sobre o autor

Imprensa

Imprensa

Conteúdos desenvolvidos por terceiros.

Deixar comentário.

Navegação